Em coluna temos a palavra

Patologias

HÉRNIA DE DISCO

O que é?

A hérnia discal ou hérnia do núcleo pulposo é o termo utilizado para descrever a condição em que a parte central do disco (núcleo pulposo), que se encontra rodeado por uma camada fibrosa começa a emergir a partir de sua posição central podendo comprimir estruturas nervosas. A degeneração progressiva destes discos se deve a um processo de envelhecimento normal ou por um fator genético. Outras causas de danos para o disco podem ocorrer por traumas ou forças exercidas sobre os discos, enfraquecendo e predispondo a esta patologia.

Tratamento

Uma porcentagem significativa das hérnias são reabsorvidas ou voltam ao seu tamanho habitual, sem a necessidade de tratamento cirúrgico. O tratamento conservador inclui normalmente:

  1. Cinesioterapia: a realização de exercícios físicos que reforçam a musculatura podem proteger o disco de futuros episódios de hérnia discal.
  2. Tratamento com anti-inflamatório e analgésicos: muitas vezes necessário para permitir a conclusão do exercício e para reduzir a intensidade da dor.
  3. Educar o paciente sobre as atividades da vida diária: utilizar uma técnica adequada para levantar um objeto ou saber se levantar da cama é essencial para proteger a coluna vertebral e, portanto, os discos intervertebrais.

Quando os tratamentos conservadores não são bem sucedidos, ou quando a hérnia esta comprimindo estruturas nervosas de forma severa deve-se consultar com um de nossos médicos para avaliar a necessidade de uma cirurgia minimamente invasiva para a retirada da hérnia. Neste procedimento, se retira o fragmento discal (Hérnia) que está gerando a compressão, através de uma incisão de aproximadamente 1-1,5 cm. O paciente permanece acordado durante o procedimento e não se utiliza a anestesia geral e sim local.

Sintomas

Curiosamente, o disco herniado sozinho não produz sintomas. É somente quando o núcleo pulposo comprimi estruturas nervosas vizinhas que os sintomas aparecem. Além disso, é provável que tenha mais de uma hérnia de disco em outros níveis, porém não causam nenhum sintoma a não ser que haja uma compressão de estruturas nervosas. Quando a compressão das estruturas nervosas os sintomas podem ser:

  • Dor crônica
  • Fraqueza
  • Dor irradiada para as extremidades
  • Formigamento
  • Adormecimento
  • Reflexos alterados.

Diagnóstico

O diagnóstico de hérnia discal é realizado num primeiro momento pela história clínica do paciente e o exame físico. A dor de uma hérnia discal pode ocorrer de forma brusca ou gradual, dependendo se a formação desta hérnia vem de um episódio específico que gerou à expulsão do fragmento discal ou de uma degeneração discal que foi progredindo gradualmente até a última fase que forma a hérnia. Para confirmar o provável diagnóstico de hérnia utilizamos alguns exames de imagens:

  • Ressonância Magnética: neste exame é possível visualizar o tecido mole, sendo de particular interesse o disco intervertebral. Nesta imagem avaliamos a qualidade do disco (altura, hidratação e grau de degeneração).
  • Raios-X dinâmico: neste exame é utilizado para excluir a instabilidade vertebral. Se ela estiver presente, significa que a coluna está com uma sobrecarga, o que portanto pode gerar a uma hérnia.
  • Tomografia: embora não tão usado para visualizar partes moles, como ressonância magnética, a tomografia nos fornece mais informações sobre as estruturas ósseas.

Agende sua Hora

Solicite aqui seu agendamento de avaliação com a equipe médica da
Clínica Kennedy São Paulo.